Os chatbots vão deixar o jornalismo ainda mais dinâmico!

Apesar de serem conhecidos como “robôs de atendimento”, as aplicações dos chatbots avançam em diferentes segmentos e funções, oferecendo um apoio inteligente e estratégico. Muito além de “secretária eletrônicas 2.0”, os chatbots começam a ser utilizados também no jornalismo, oferecendo interações mais dinâmicas, contextualizadas e complexas.

Chatbots: Jornalistas Robô

Especialmente neste período, em que o jornalismo e a mídia passam por uma transição entre “físico” e online, os chatbots oferecem uma nova abordagem para atrair leitores, com dinamismo e interações mais pessoais. Para os grandes meios de comunicação, que neste momento estão tendo que se adaptar às necessidades desse novo público, contar com chatbots que possam entrar em contato com leitores e assinantes diretamente por aplicativos de mensagens poderá ser um diferencial estratégico para continuarem relevantes.

Como resultado, ter um chatbot que envie diariamente direto no seu celular – pelos aplicativos de mensagens – as manchetes dos cadernos ou temas do seu interesse seria suficiente para aumentar o interesse em ler as matérias completas. Com essa sensação de notícias imediatas e próximas dos leitores, os chatbots têm a vantagem de já estarem nos apps de mensagens que os leitores estão usando em seus celulares, sem que eles precisem abrir outros sites, apps ou redes sociais para terem acesso aos conteúdos.

Há também outros exemplos de chatbots já em prática dentro do jornalismo. Por exemplo: chats que são configurados pelos próprios jornalistas para que o leitor daquela matéria possa interagir com algumas perguntas pré-estabelecidas, tendo mais informações e links referentes àquela reportagem e podendo se aprofundar no assunto com alguns cliques. Assim, além de tirar dúvidas pontuais sobre o tema, os chatbots oferecem um contexto maior para o leitor ter a total compreensão do tema.

Para quem acha que a ideia ter robôs trabalhando para oferecer notícias parece algo saído de um filme de ficção, grandes marcas como a BBC e a Forbes já começaram seus experimentos oferecendo essa nova maneira de alcançar e informar leitores, especialmente em notícias mais complicadas que exigem um repertório vasto de informações.

É importante ressaltar que os chatbots não substituem a ação humana, portanto, a apuração, redação e correlação entre assuntos que os jornalistas realizam hoje continuarão sendo indispensáveis para que os chatbots consigam enviar as informações corretas para os leitores.

Dessa forma, os chatbots já são fundamentais em nossa rotina. Mesmo que em muitos casos a gente não saiba que eles estão por trás de muitas estratégias.

Quer saber mais como os chatbots podem ter aplicações que vão muito além do atendimento eficiente ao cliente? Entre em contato com a gente.

LEIA TAMBÉM