Chatbots na saúde: Seu próximo médico pode ser um robô?

Na animação Operação Big Hero o carismático robô Baymax, o agente pessoal de saúde, era ativado sempre que um humano se machucava na sua presença, prestando os primeiros socorros e sanando dúvidas sobre cuidados médicos. Atualmente, mesmo sem o clima fantasioso da animação, a possibilidade de ter o atendimento por chatbots na saúde em clínicas e hospitais já é uma realidade.

Chatbots na saúde: com podem ajudar ?

A robótica voltada para saúde está em expansão: estima-se que a área crescerá 11,4 bilhões de dólares até 2020. Principalmente com o desenvolvimento de sistemas inteligentes, os chatbots na saúde interpretam e analisam dados médicos representarão uma economia anual de US $ 3,6 bilhões globalmente até 2022, de acordo com o relatório da Juniper Research.

Entre as vantagens dos chatbots na saúde temos benefícios tanto para os médicos, quanto para os pacientes. Nos hospitais e clínicas, os chatbots podem realizar o primeiro atendimento, tirando dúvidas sobre especialistas, horários de atendimento, localização e servindo como um atendente de consultório. Já para os médicos, sistemas de inteligência artifical poderão auxiliar ainda mais, com diagnósticos mais precisos que utilizam referências biográficas do mundo todo, o que ajudará a salvar ainda mais vidas em menos tempo.

Há também a possibilidade de desenvolver chatbots na saúde específicos para o tratamento de doentes crônicos. Em alguns países já há sistemas que detalham os horários de medicamento, dieta diária, datas das próximas consultas e dados clínicos. Tudo isso sem nem precisar instalar um novo aplicativo, quase como um enfermeiro virtual, disponível 24 horas do dia.

Doutor Robô:

De acordo com a consultoria PricewaterhouseCoopers (PwC), um estudo realizado com 11.000 pessoas em 12 países revelou que 55% dos entrevistados já estariam dispostos a serem atendidos por uma ferramenta online, por acreditarem que os cuidados seriam mais rápidos e acessíveis. Por outro lado, 40% ainda acreditam que apenas um médico humano saberia indicar o tratamento mais adequado, usando a intuição e o “toque humano”.

No mercado brasileiro as primeiras iniciativas em criar chatbots exclusivos para o setor da saúde, especialmente para tirar dúvidas de pacientes, já começaram a aparecer e deverão se tornar cada vez mais comuns. Assim, pensar em uma realidade próxima em que será possível marcar consultas e ter o diagnóstico confirmados por robôs não é algo tão impossível, mas uma solução que poderá fazer parte da nossa rotina.

Ficou curioso para descobrir mais como os chatbots vão mudar as interações entre marcas e clientes? Fale com a Livetalk! Deixe um robô trabalhar para você!

LEIA TAMBÉM